quinta-feira, 23 de abril de 2015

Às vezes não é medo, é falta de amor..

"Ele gosta de ti, eu acredito mesmo que ele gosta de ti, só não sabe como demonstrá-lo. Parece que tem ali um bloqueio, que tem medo de alguma coisa, sim, é isso mesmo, parece que tem medo de assumir que gosta de ti, de fazer as coisas andarem para a frente...
Claro que gosta, senão gostava não acabava sempre por te telefonar e voltar a querer estar contigo, só que há algo nele que não sei o que é..."

Sorri, enquanto ouvia a conversa que nada a tinha a ver comigo mas que me levou a viajar ao passado, também eu um dia quis inventar mil desculpas e colocar mil argumentos em cima da mesa para justificar algo tão óbvio, como o simples facto de a pessoa não gostar de nós.

E confesso que enquanto ouvia a conversa tive vontade de me levantar do meu lugar, arrancar o telemóvel da mão da pessoa e dizer a quem quer que estava do outro lado que lamentava muito mas que não, a pessoa de quem elas falavam não gostava dela e andava apenas a dar-lhe conversa para a poder manter na prateleira para quando estivesse sozinho e precisasse de alguém.
Porque meus amores, quem ama não inventa desculpas para não estar presente, quem ama sente saudades todos os dias, saudades do nosso riso, do nosso abraço, do nosso olhar, da nossa voz, quem ama não sente apenas saudades de nos levar para a cama e não nos telefona apenas em momentos de carência.
Quem ama está lá, sempre. Sejam 8 da manhã ou 8 da noite (e com estar lá, não quer dizer que a pessoa tem que nos mandar uma mensagem de 5 em 5 minutos - amar sim, ser um carrapato não), estar lá significa que a pessoa vai querer ouvir a nossa voz mesmo que seja apenas para dizermos a coisa mais parva do universo - e a pessoa vai-nos dizer que o que estamos a dizer é parvo.
Quem ama não se deixa dominar pelo medo, quem ama arrisca, segue em frente, dá a mão e caminha junto seja qual for o destino, seja qual for o caminho...

Eu sei que é difícil olhar para o outro e admitir que os sonhos não são compartilhados, que por mais amor que tenhamos o outro não sente o mesmo, que às vezes somos apenas as bonecas na prateleira..

Mas sabem, às vezes a vida é mesmo assim, às vezes amar não chega, às vezes é preciso aceitar o que está mesmo à frente dos nossos olhos, aceitar que as desculpas da outra pessoa são isso mesmo, desculpas, que aquilo que nos dizem é realmente o que querem dizer e não o medo a falar por eles, que quem ama, não ama apenas uma vez por semana ou uma vez por mês, que quem ama não espera que um dia o destino lhe bata à porta com a pessoa embrulhada em papel de seda mas que vai à luta, corre atrás, quem ama, ama mesmo que já tenha caído de um arranha céus vezes e vezes sem conta, ama mesmo que toda ela seja medo e segue em frente mesmo com esse medo.

Então meus amores, se a pessoa de quem vocês gostam vos envia uma mensagem uma vez por semana apenas e só com a esperança de um encontro para vos levar para a cama, se a pessoa em questão não está lá às 8 da manhã e às 8 da noite, se a pessoa inventa mil desculpas para algo tão "simples" como o amor, então está na altura de fechar a porta e sofrer tudo de uma vez, de acabar com a esperança e fazer o luto. De perceber que o amor não inventa desculpas.
Está na altura de seguir em frente porque algures na esquina da cidade pode estar a pessoa certa, aquela que vos vai amar hoje, amanhã, sempre, acima de todas as desculpas e de todo o medo.


domingo, 19 de abril de 2015

Eu sei...

Eu sei que fui eu que te pedi que partisses, que fosses sem olhar para trás e que nunca voltasses...
Eu sei que fui eu que fechei a porta, que gritei que não queria mais, que disse estar farta de mentiras e de promessas vazias,
Eu sei que fui eu que jurei não perdoar mais nenhuma desilusão, e que manteria o meu coração intacto e longe de ti...
Eu sei que fui eu que me cansei dos teus jogos sórdidos e das tuas manipulações constantes...

E eu sei que estou melhor sem ti, longe de um amor que a vida já me provou que nunca daria certo, que em jeito de matemática se revelou uma equação impossível e um numero longe de ser perfeito.
Eu sei que a mudança não existe e que seria sempre mais do mesmo...

Mas hoje eu sei que tenho saudades, que a dor no peito me consome, que a vontade de ceder e voltar atrás é maior do que a lucidez e a razão.
Eu sei que só me apetece mandar uma mensagem, mandar a lógica para o espaço e cometer de novo o mesmo erro, aquele erro repetido vezes infinitas e que eu sei que acaba sempre da mesma forma...
Eu sei que o meu sorriso é mais bonito quando tu sorris comigo, que o meu coração bate mais depressa quando me apertas nos teus braços, que os meus olhos brilham mais quando olho para ti...
Eu sei que por mais que eu tente calar tudo o que sinto, há sempre dias em que não consigo...
E eu sei que te queria por perto mais uma vez e que me perderia nos teus braços sem pensar duas vezes...

Mas eu sei que não vou fazer nada, que não vou abrir a porta, não vou mandar mensagem, não vou gritar para que voltes na esperança de que oiças.
Eu sei que vou ficar quieta no meu canto, esperando a saudade passar, a máscara voltar e a solidão ir embora..

Eu sei que o amor não chega, que por mais que amemos às vezes o melhor é fingir que não amamos e que por vezes apenas podemos seguir em frente, mesmo quando a vontade é correr de volta ao passado e por lá morar infinitamente...

Eu sei, sei tudo, eu sei sempre tudo...
E hoje sei que tudo o que eu sei, é que tenho saudades tuas!